FIETO

Em defesa dos interesses da indústria tocantinense

Palmas, 31 de outubro de 2014 23:10

 

Palavra do Presidente

“É tempo de ação. É tempo de avançar. É preciso manter o foco na indústria, razão de ser do Sistema FIETO. ”

Roberto Pires

Mais



Notícia

Indústria da construção inicia ano em queda, mantendo o desaquecimento

Baixar arquivo | 26/02/2014 - 11h04
 
 

Por Confederação Nacional da Indústria - CNI

A atividade do setor atingiu em janeiro 45,8 pontos, abaixo da linha divisória dos 50 pontos, indicando recuo. Em relação ao usual para os meses de janeiro, foi o pior resultado desde agosto de 2013, revela a CNI

A indústria da construção iniciou o ano em queda, mantendo o desaquecimento verificado em 2013, revela a Sondagem Indústria da Construção, divulgada nesta quarta-feira, 26 de fevereiro, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O nível de atividade em janeiro atingiu 45,8 pontos e,  em  relação ao que costuma ocorrer no primeiro mês do ano,  chegou aos 43,9 pontos, o pior resultado desde agosto de 2013 na comparação com o comportamento usual.  Os indicadores da Sondagem variam de zero a cem. Acima de 50 indicam crescimento ou atividade acima do usual e aquém representam queda na atividade ou abaixo do usual.


A Utilização da Capacidade de Operação (UCO), variável que mede o percentual utilizado no mês do volume de recursos, mão de obra e maquinário, registrou  70% em janeiro, um ponto percentual acima da UCO de dezembro de 2013. Como consequência da desaceleração, houve recuo no emprego, pois o número de empregados ficou aquém da linha divisória dos 50 pontos, registrando 45 pontos em janeiro.

As expectativas em fevereiro dos empresários da indústria da construção para os próximos seis meses continuam positivas, com índices acima da linha divisória dos 50 pontos tanto na perspectiva do nível de atividade (56,9 pontos) quanto de novos empreendimentos e serviços (56,3 pontos), compras de insumos e matérias-primas (55,8 pontos) e contratação de empregados (55,6 pontos). Todos estes quatro itens recuaram, porém, na comparação com janeiro e com fevereiro de 2013, significando empresários menos otimistas.

A pesquisa Sondagem Indústria da Construção, realizada em parceria com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), foi feita entre 3 e 13 de fevereiro com 501 empresas, das quais 163 de pequeno porte, 223 médias e 115  grandes.

 

 

 


 
 
 
104 Sul, Rua SE 03 Lote 29, Ed. Armando Monteiro Neto - Plano Diretor Sul, Palmas - TO CEP: 77.020-016 Tel.: +55 63 3228-8860